Opções incríveis para o melhor desempenho de som e imagem em seu carro!

Não é de hoje que equipamentos multimídia se tornaram essenciais para um veículo. São eles os responsáveis por aliviar a tensão de uma viagem longa, um engarrafamento ou mesmo uma voltinha de carro, afinal de contas, a melhor maneira de se passar por tudo isso é ouvindo sua música favorita, não é mesmo?

Melhor ainda se o som vier acompanhado de boas imagens, para entreter quem estiver como carona e os demais passageiros. É por isso que a AutoZ preparou uma lista com os principais DVD Players para o seu automóvel. Confira e escolha o seu aparelho!

 

DVD Player Automotivo Pioneer AVH-Z7080TV

O DVD Player AVH-Z7080TV é o grande lançamento da Pioneer! É o som automotivo mais completo da categoria, pois conta com TV digital integrada, compatibilidade com Android Auto (isto é, espelhamento de sistema Android via app), MIXTRAX e conexão bluetooth (para ouvir músicas do celular direto no som do carro). O aparelho ainda oferece interface para iPod e iPhone via USB, compatibilidade com Apple CarPlay (espelhamento de iOs via app) e AppRadio Mode, para conexões com Waze e Spotify.

 

DVD Player Pósitron SP6320 BT

Esse equipamento da Pósitron chegou para inovar seu carro! Com uma tela de sete polegadas retrátil touchscreen, o DVD oferece alta resolução. Além disso, o sistema de inclinação para a tela faz com que o aparelho se adeque ao painel do veículo. Conta com conexão bluetooth e tecnologia Áudio Streaming, para que seja possível ouvir as músicas armazenadas em outros dispositivos, sem necessidade de conexão com fios.

 

DVD Player Pósitron SP6920NAV

Este modelo possui tela de sete polegadas retrátil touchscreen e sistema de inclinação para a tela, de modo que o aparelho se adeque ao painel do carro da melhor maneira possível. Trazendo o sistema SWC, permite acesso à tela principal do DVD pelo controle remoto integrado ao volante de seu veículo (verificar compatibilidade).

 

Atendimento AutoZ

No AutoZ, você encontra produtos de qualidade, atendimento eficiente e facilidades no pagamento. Já são duas décadas de atuação no mercado, com o mais completo e-commerce automotivo. Entre em contato e esclareça suas dúvidas: (19) 9.9925-6376, 0800-777-6387 ou sac@autoz.com.br.

Conheça os Pneus Semperit e saiba porque eles possuem bons níveis de desempenho e ótima relação custo benefício.

Com mais de um século de história, os pneus Semperit são reconhecidos internacionalmente pelos seus altos níveis de performance e compromisso com a segurança. Em latim, o nome da marca significa “Sempre em movimento”.  Eles integram o portfólio de marcas pertencentes à Continental e aqui no Brasil são comercializados pelo AutoZ desde janeiro 2017.

Para te ajudar a entender melhor toda história da marca e a qualidade comprovada de seus produtos, nós do Blog AutoZ separamos algumas informações. Confira:

 

Performance completa há mais de 100 anos

Um dos mais antigos fabricantes de pneus do mercado europeu, a Semperit é conhecida no mundo inteiro pelos pneus de Inverno, fiáveis e seguros, perfeitamente adaptados às estradas de montanha com neve. Tudo isso aliado às questões qualidade, preço e durabilidade forma seu principal cartão de visita que avança a passos largos no mercado mundial.

Seu desempenho foi aprovado em demandas extremas, assegurados pela sua avançada tecnologia de produção. Até hoje a marca é a principal referência no mercado quando se fala de segurança ao dirigir, conforto e durabilidade seja em qualquer tipo de estrada.

 

Pneus Semperit aqui no Brasil

Fabricados em Maracari, na própria fábrica da Continental na Bahia, os Pneus Semperit garantem mais resistência e durabilidade que os demais devido aos projetos em que foram criados. Eles foram desenvolvidos especificamente para a s estradas brasileiras levando em consideração suas condições e o clima tropical.

Quando mantidos bem calibrados e com o veículo em dia, os pneus Semperit podem atingir mais de 50 mil km de rodagem. Além disso, a marca ainda oferece garantia contra defeitos de fabricação integral de cinco anos. Ou seja, você ganha um novo se o pneu apresentar algum defeito.

 

Aproveite as ofertas de Pneus Semperit que você só encontra no site AutoZ, o primeiro e-commerce de pneu e acessórios do Brasil! Se estiver com dúvidas, entre em contato conosco pelo nosso whatsapp, e teremos prazer em respondê-lo.

Confira o artigo que nós do Blog da AutoZ  fizemos com dicas de cuidados essenciais para o carro que fica parado.

 

Cuidados especiais para o carro que fica parado

Atualmente, principalmente em grandes metrópoles, existe uma ampla gama de opções de locomoção e transporte que, a ideia de deixar o carro na garagem se apresenta como mais vantajosa. Só que deixar o carro na garagem exige uma certa atenção para que seu veículo, quando necessário, volte à ativa com tudo em cima e sem problemas.

Como qualquer outro tipo de sistema mecânico, quando utilizado com frequência e da maneira correta, o automóvel tende a ter um melhor funcionamento do que se estivesse parado. Existem até especialistas que defendem o cenário de que, para manter um bom estado do conjunto mecânico, é necessário de o carro percorra pelo menos 5 km a cada duas semanas.

Com intuito informativo, nós do Blog da AutoZ preparamos algumas dicas e cuidados especiais para o carro que fica parado. Confira e tire suas dúvidas:

 

Antes de qualquer coisa

Determine o período de tempo que o carro ficará parado. É importante levar em consideração que até duas semanas parado não representa nenhum risco ao automóvel. Agora, se esse período for maior do que duas semanas, siga as dicas abaixo e garanta mais cuidado para o seu veículo.

 

Limpeza completa e carroceria encerada

Encerara a carroceria garante proteção já que impede que a sujeira grude da pintura do carro. Além disso, faça uma limpeza completa de dentro para fora, e verifique se não há restos de líquido ou alimentos, já que, por atraírem insetos, apresentam riscos aos revestimentos.

 

Proteja seu veículo do sol

Caso possível, dê preferência a um lugar coberto na garagem que tenha boa ventilação. Se não houver essa possibilidade, o certo é utilizar uma capa para automóveis que possua entrada para ventilação.

 

Ligue o ar condicionado quinzenalmente por no máximo 30 minutos

Para garantir a lubrificação ideal dos sistemas de gás e mangueiras, é importante que ar condicionado seja utilizado ao menos de 15 em 15 dias durante meia hora.

 

Tem mais alguma dúvida sobre os cuidados necessários para o carro que fica parado? Deixe seu comentário ou entre em contato conosco pelo nosso whatsapp, e teremos prazer em respondê-lo.

Os tipos de pneus e suas diferenças

Confira o artigo que nós do Blog da AutoZ fizemos explicando de forma simples e didática as principais diferenças entre os tipos de pneus.

 

Conheça os diferentes tipos de pneus e entenda a diferença entre eles

Todos sabem que existem atualmente vários tipos de pneus e que cada um deles possui uma situação determinada em que o seu uso é indicado. Porém, são tantos os tipos que podem existir dúvidas sobre como utilizá-los corretamente. Pensando nisso, a seguir estão os diferentes tipos de pneus vendidos nas lojas e como fazer o uso adequado de cada um deles.

 

Pneu de passeio (geral)

Este é o modelo mais comum encontrado por aí. É o tipo de pneu adequado para carros da categoria “passeio” além esportivos e caminhonetes. Os pneus de passeio tem aptidão para andar com eficiência, tanto em seco quanto sob chuva, possuem preços mais acessíveis e desempenho razoável em trechos off-road.

 

Pneu misto (ATR)

Os pneus mistos são aqueles que ficam entre os convencionais e os off road. Esse modelo pode ser utilizado tanto no asfalto e estradas quanto na terra e pisos irregulares. Os pneus mistos oferecem desempenho favorável em todos os tipos de terrenos.

 

Pneu OTR (Off the Road)

Também chamados de OTR (do inglês, “off the road”), esses pneus são indicados para trilhas, tendo em vista que são resistentes a erosão, descidas, subidas e terrenos similares. Por estarem em constante contato com a lama, eles precisam ter sulcos mais profundos, para que a lama possa ser removida conforme o automóvel estiver em movimento e o tempo de vida útil do pneu não seja prejudicado.

 

Pneu verde

Essa categoria de pneus tem esse nome não por sua coloração, que é preta assim como os demais, mas sim pelas suas promessas ecológicas. Em sua composição consta borracha e sílica além da adição de um composto que influencia nas propriedades do produto quando em rodagem. Assim, o pneu fica mais leve e aquece menos, fatores que garantem menor resistência à rolagem, promovem uma redução no consumo de combustível e, consequentemente, uma diminuição nos níveis de emissão de poluentes.

 

Pneu Run on flat (ROF)

O pneu Run Flat é desenhado para rodar mesmo se estiver furado sem causar danos a sua roda. É a aplicação de uma nova tecnologia que se baseia em flancos que é reforçado no interior do pneu e permitem suportar o peso do veículo por até 80km após sua perfuração.

 

Pneu radial 

O pneu radial apresenta maiores índices de rigidez e durabilidade da banda de rodagem. Em compensação, suas laterais são mais flexíveis e frágeis, porém na maioria das vezes, são indicados para uso “tubeless”, sem câmara de ar.

Tem mais alguma dúvida sobre os principais tipos de pneus e suas características? Deixe seu comentário ou entre em contato conosco pelo nosso whatsapp  e teremos prazer em respondê-lo.

Os aumentos no preço dos combustíveis ocorridos em 2017 reforçam a ideia de que economizar combustível está além de um controle financeiro, e sim uma necessidade para a maioria dos brasileiros.

Neste ano, o preço dos combustíveis superou margens históricas e pegou muitos motoristas despreparados. Contudo, é possível economizar combustível com alguns truques simples e bastante úteis, que além de garantir melhor rendimento, pode ainda contribuir para a manutenção do carro.

Para te ajudar, nós do Blog da AutoZ preparamos 7  dicas para você poupar dinheiro com combustível. Confira:

 

Calibre os pneus 

Além de dificultar a locomoção e danificar outras peças do carro, rodar com os pneus murchos podem causar um verdadeiro rombo em suas finanças, isso porque o veículo precisará de mais força para se locomover, o que aumentará o consumo de combustível em mais de 15%. Sendo assim, manter os pneus calibrados te auxiliará na economia de combustível, pois o carro conseguirá rodar mais facilmente consumindo menos.

 

Não sobrecarregue o carro 

Quanto mais pesado um veículo é, mais aceleração ele precisa para sair do lugar. Mas essa regra também se aplica ao peso que é carregado pelo carro, isso significa que ao carregarmos um peso maior dentro do veículo, estaremos automaticamente forçando uma aceleração, que consequentemente, gastará mais combustível.

Então a regra é simples, carregue apenas o necessário, faça uma limpeza e retire tudo que for pesado e desnecessário de ser carregado dentro do carro.

 

Troque a marcha corretamente 

Utilizar a marcha errada para determinada velocidade pode comprometer em muito o consumo do combustível, além de causar problemas mecânicos no carro. Cada veículo possui uma velocidade certa para determinada marcha e torque, que pode ser conferida a partir do manual do carro. Sendo assim, a forma correta de trocar a marcha dependerá do modelo do carro e suas especificações. Mas alguns conceitos do que é errado são básicos, como dirigir a 40km/h na 5ª marcha ou ainda a 100 km/h na 2ª.

 

Acelere quando necessário 

Embora isso possa parecer legal para você, acelerar o carro desnecessariamente ou ainda bruscamente pode afetar o consumo do combustível. Àquela clássica história de aquecer o carro pela manhã é totalmente desnecessária e um verdadeiro desperdício de combustível para alguns veículos.

Carros com injeção não precisam ser aquecidos manualmente, pois o sistema já cuida de aquecer o veículo automaticamente. Mas caso seu carro não tenha injeção e seja zero quilômetro, você poderá deixá-lo ligado na primeira partida durante alguns minutos até que ele complete mil quilômetros rodados.

 

Prefira aditivado

O combustível aditivado em si não provoca nenhuma economia de combustível em relação ao consumo. Contudo, a função desse tipo de combustível é limpar e preservar a qualidade do motor, o que no futuro, irá proporcionar uma economia de combustível.

 

Troque as velas

Dentre os itens de manutenção, as velas são as que mais influenciam na quantidade de combustível consumida pelo carro. Cada montadora estipula um prazo para a substituição das velas, que deve ser seguido criteriosamente por cada motorista. Além disso, caso uma apresente defeito é necessário que todas as velas sejam trocadas para que elas não afetem o funcionamento do veículo e ocasione um maior consumo de combustível.

 

Feche os vidros do carro sempre que possível

Embora pareça inofensivo, os vidros abertos comprometem a aerodinâmica do veículo. Esse comprometimento acontece em escala ainda maior quando o veículo está em uma velocidade de 80 km/h, sendo assim, sempre que possível feche os vidros para conservar a aerodinâmica do carro e assim aproveitar melhor o rendimento do combustível.

Manter a manutenção do carro em dia faz toda a diferença para quem quer economizar combustível. Além disso, se manter informado sobre o melhor preço do combustível em sua região, levando em conta a qualidade do combustível, também faz toda diferença no orçamento.

Se estiver com dúvidas, entre em contato conosco pelo nosso whatsapp, e teremos prazer em respondê-lo.

 

A iluminação automotiva é um dos itens de maior importância de um carro. Sua função é oferecer maior noção de direção na estrada, agregando mais segurança para o sua condução.

Mas você sabe qual é a ideal para o seu veículo? Sabe qual a diferença entre as lâmpadas?

Confira o artigo que nós do AutoZ fizemos, explicando as diferenças entre elas e qual a melhor opção para cada veículo!

As luzes do carro incluem:

Faróis

Existem dois tipos de faróis: feixe baixo e feixe de alta. Estas luzes permitem que o motorista veja a estrada no escuro, enquanto também sinaliza aos outros motoristas que um carro está presente. As vigas baixas fornecem uma distribuição de luz para dar iluminação frontal e lateral adequada sem blindar outros usuários da estrada com brilho excessivo. Os feixes altos fornecem uma distribuição de luz intensa e ponderada no centro sem controle particular de brilho e só devem ser usados ​​quando não há carros visíveis à sua frente (indo ou vindo).

 

Luzes traseiras

As luzes traseiras são necessárias para produzir apenas luz vermelha na parte traseira do veículo de modo que estejam acesas sempre que os faróis estejam ligados, isso ajuda os motoristas que viajam atrás de você a reconhecer que você está lá e a sua distância.

 

Luzes diurnas

Estas luzes estão localizadas tanto na frente como na parte traseira do carro e geralmente ligam-se automaticamente. Embora em alguns carros você tenha uma opção para desligá-los, elas são projetadas para oferecer maior visibilidade para outros veículos.

Faróis de neblina

Localizados perto dos faróis, mais próximo do chão, sua função é melhorar a visualização do chão e não para uma longa distância, além de iluminar as laterais da pista através do reflexo. Estes devem ser utilizados durante a neblina quando os faróis normais não são eficazes.

 

Luzes de sinalização

Também conhecidos como sinais de mudança de direção ou “pisca-alerta”, estes estão localizados na parte frontal e traseira do carro. Quando ativados, eles indicam a outros motoristas que você em breve estará “dobrando” (na direção indicada do sinal) e, provavelmente, estará desacelerando para fazê-lo.

 

Luzes de freio.

Localizados ao lado das luzes traseiras, eles sinalizam os motoristas que você está parando. Eles só são ativados quando você aplica o pé nos freios, no entanto, você precisa garantir que eles sejam devidamente mantidos e não queimem.

 

Lâmpadas de condução

Sua função é iluminar o interior do carro para que o passageiro ou motorista verifique com segurança mapas e direções, ou precise localizar itens e objetos. Não recomendamos o uso por longos períodos.

Como escolher a lâmpada ideal

Este guia te ajudará a escolher quais os faróis que melhor atende as suas necessidades. Falaremos a seguir sobre os tipos de faróis e as principais modalidades de lâmpadas disponíveis no mercado: halogênio, Xenon e LED.

 

Tipos de faróis

Todos os faróis têm a mesma função principal, que é iluminar a estrada na frente do veículo. No entanto, eles diferem em termos dos tipos específicos de lâmpadas que eles usam para fornecer luz.

As três lâmpadas principais que são usadas nos faróis são halogênio, Xenon e LED. Os faróis podem ser classificados de acordo com a tecnologia de iluminação específica que utilizam.

 

Farol de halogêneo

O halogênio refere-se a um membro de um certo grupo de cinco produtos químicos que são muito reativos e venenosos. Estes produtos químicos são classificados como não-metais.

As luzes do carro de halogêneo são usadas nos faróis, cada lâmpada possui um filamento de tungstênio fino e uma cápsula de filamento de vidro cheia de gás halógeno. O gás roteia o tungstênio para o filamento, de modo que regenera o filamento cada vez que o farol é ligado e usado.

 

 

Farol de xenônio (Xenon)

Xenon é um gás altamente não-reativo que é incolor e inodoro. Pode ser encontrado em pequenas quantidades na atmosfera e pode ser extraído do ar liquefeito para ser utilizado para fins comerciais. O xenônio é comumente usado nos faróis e é utilizado em algumas tecnologias de iluminação automotiva baseadas em filamentos.

Uma lâmpada de xenônio emite uma luz branca e limpa, também pode ser usada em iluminação HID (descarga de alta intensidade). Uma lâmpada HID não possui um filamento, em vez disso, ela usa um sistema selado com gás de xenônio que gera luz através de uma carga elétrica que inicia um arco entre dois eletrodos.

Vale lembrar que o uso do xênon não é permitido pelo Detran, a menos que o seu veiculo já venha com esse acessório de fábrica.

Farol LED

O acrônimo “LED” significa “Diodo emissor de luz”. É um diodo semicondutor que emite luz quando a tensão é aplicada a ele.

O LED é um display popular e tecnologia de iluminação que é usado em vários tipos de produtos elétricos e eletrônicos. O LED produz luz em menos de um hemisfério, isso significa que precisa ser resfriado pelas costas. Como resultado, um farol LED pode exigir um design diferente dos faróis de halogêneo e xenônio.

Um farol LED pode potencialmente vir em projetos diferentes porque o seu tamanho pequeno torna-o versátil.

 

Tá, mas qual é a melhor opção?

Fizemos uma tabela comparando as vantagens e desvantagens de cada uma. Confira:

Tipo de luz Vantagens Desvantagens
Halogênio Emite luz brilhante; tem uma longa vida útil; baixo custo de reposição; tipo popular de farol Gera excesso de calor; desperdiça energia; Manuseio cauteloso necessário ao substituir a lâmpada; reativo a outras substâncias
Xenon Fornece boa iluminação; mais eficiente em comparação com o halogênio; usa menos energia; vida útil mais longa do que faróis halógenos Caro; pode causar um brilho severo a outros motoristas devido a intensidade da sua luz
Led Precisa de pouca energia para trabalhar; consumo de energia baixo e eficiente; tamanho pequeno; pode ser projetado de forma diferente por seu tamanho Caro; gera calor e precisa de mais arrefecimento para funcionar do que faróis de halogênio e xenônio

Este é apenas um resumo dos respectivos prós e contras dos faróis de halogêneo, xenônio e LED.

Os faróis de halogêneo podem ser melhores para os compradores que possuem um orçamento limitado, uma vez que esses tipos de luzes proporcionam um bom desempenho por um custo relativamente menor do que outros tipos de faróis.

Os faróis de xenônio, por outro lado, podem ser ideais para os compradores que valorizam a iluminação brilhante porque emitem uma luz muito forte. Já os faróis LED podem ser apropriados para compradores que priorizem o consumo eficiente de energia.

Um tipo de farol não é necessariamente melhor ou superior aos outros, embora possa ser uma escolha mais apropriada para certos compradores.

Agora que você já sabe quais as diferenças, acesse o nosso site! Lá você encontra diversas linhas de iluminação automotiva.

E se ainda estiver com dúvidas, entre em contato conosco pelo nosso whatsapp, e teremos prazer em respondê-lo.

Até a próxima! ?

Apesar das aparências, ter um som automotivo de qualidade não é tão complicado assim. Claro que tudo depende do nível de qualidade desejado para o projeto, mesmo assim é possível estruturar um equipamento eficiente dentro de um limite compatível de gastos.

Antes de qualquer coisa, é preciso enfatizar que ter um som de qualidade não é sinônimo de um som potente. Muitas pessoas se confundem nesse ponto. O aspecto mais importante a ser considerado é ter um som cristalino, sem chiados, nem ruídos e interferências.

Com intuito informativo, nós do Blog da AutoZ preparamos um conteúdo bem legal para você que tem dúvidas de como montar um som automotivo de qualidade. Confira:

 

Tratamento acústico do veículo

O primeiro ponto a ser levado em consideração é o tratamento acústico do carro. Isso garante que o seu sistema de som automotivo não “perca” as frequências sonoras que podem ser captadas pelo aparelho auditivo humano. Esse tratamento acontece com a aplicação de materiais como vidro duplo, espumas e mantas, principalmente, no porta-malas, nas portas e no teto. O tratamento acústico agrega valor ao veículo e ainda proporciona extrema qualidade de som na hora de ouvir música.

 

Processador de áudio

Também conhecido como “timing correction”, um bom processador de áudio é extremamente importante para a qualidade de desempenho do seu som automotivo. Sua função é fazer os ajustes de tempo, posicionando cada uma das frequências sonoras nos locais corretos.

 

Os alto falantes

Os alto falantes nada mais são do que os reprodutores de áudio. Um reprodutor de qualidade é aquele que não acontece nenhum tipo de distorção do som. Normalmente, os componentes são formados pelo conjunto de um Woofer (mid-range/mid-bass) para frequências médias, um Tweeter para frequências agudas e um Crossover, que funciona como um divisor de frequências. As frequências graves são comandadas pelo Subwoofer.

Lembre-se também

É importantíssimo que as características básicas de segurança do veículo sejam mantidas. Sempre considere ter fácil acesso ao estepe no porta-malas, caso necessário. Além disso, se o som instalado for mais potente, analise bem a possibilidade de adquirir uma bateria extra.

 

Tem mais alguma dúvida sobre como montar o seu som automotivo? Deixe seu comentário ou se preferir fale conosco pelo nosso whatsapp, que teremos o prazer em respondê-lo.

 

Com tantas opções disponíveis por aí, é um tanto quanto complicado saber qual tipo de alto-falante comprar para o sistema de som do seu carro. Não há a necessidade de se tornar um especialista, mas saber pelo menos o básico já pode te ajudar bastante nesse processo.

Com intuito informativo e para te ajudar a entender melhor cada um dos modelos, nós do Blog do AutoZ preparamos um post com os principais tipos de falantes para carro que você encontra no mercado.

Tire suas dúvidas antes de comprar um alto-falante.

 

O que é um alto-falante?

O alto-falante é definido como um transdutor com capacidade de converter energia elétrica em energia acústica.

 

Quais os tipos de alto-falante automotivo?

Tweeter

É o sistema que tem a função de distribuir espacialmente a música. Eles não são grandes e são responsáveis, dentro do sistema como um todo, por reproduzir com potência as frequências mais agudas 6.000Hz a 20.000Hz. Eles devem ser instalados em posições mais altas, direcionadas aos ouvidos dos ocupantes do veículo.

Coaxial

Ele tem a função de reproduzir a grande maioria das frequências emitidas pelos instrumentos musicais que compõem uma música, com exceção do dos baixos e o bumbo da bateria. Traz consigo um Tweeter e um Woofer na mesma peça. Para sua melhor performance, é indicado que ele seja utilizado em conjunto com outros falantes que reproduzem outras frequências, como um Woofer ou um Subwoofer, por exemplo.

Triaxial

O alto-falante Triaxial, na realidade, é a junção de um Mid Bass, mais Mid Range e um Twitter. É o tipo mais utilizado pelas fabricantes de veículos e o mais procurado por quem não quer gastar muito dinheiro na montagem do seu som automotivo.

Mid-Range

Conhecido apenas como Mid, este equipamento tem capacidade para reproduzir a frequência da grande maioria dos instrumentos musicais, porém tem maior eficiência na reprodução da voz humana. Ele trabalha com as frequências médias, que vão de 300 Hz a 5.000 Hz. São bem pequenos, possuindo menos de 8″.

Woofer

É o alto-falante que possui maior área e é responsável pela reprodução das frequências entre de 50 Hz e 5.000 Hz, sons graves, médio-graves e uma pequena parcela dos médios. Em referência aos instrumentos musicais, é responsável por reproduzir o som do bumbo, dos tambores, das teclas graves do piano e do contrabaixo, por exemplo.

Subwoofer

É a grande paixão dos aficionados por Som Automotivo, pois dizem que ele é responsável por reproduzir os sons que não podem ser escutados, mas sim sentidos. Isso acontece porque ele trabalha com frequências muito baixas, na maioria das vezes abaixo de 45Hz.

 

Tem mais alguma dúvida os tipos de falante? Deixe seu comentário ou se preferir fale conosco pelo whatsapp que teremos o maior prazer em respondê-lo.

O AutoZ trabalha com as melhores marcas do mercado: JBL, Bomber, Pioneer, Arlen, Stetsom e Hinor.

Uma das piores sensações que se pode ter é a de ligar o carro e ele não
funcionar, principalmente se você estiver atrasado, não é mesmo? Se o seu
carro não liga de manhã aproveite para tirar todas as suas dúvidas a
respeito do assunto com o nosso post de hoje. Vamos lá?
Os carros flex costumam ser alvos desta falha e as possibilidades de defeito
são inúmeras, mas cabe ao proprietário conseguir diagnosticar a origem do
problema. Geralmente, após deixar o veículo sem funcionar durante um
período de aproximadamente 12 horas ou mais, ele não liga, nem mesmo
no tranco. Isso acontece com o seu carro? Veja abaixo o que pode ser e
como fazer o carro funcionar.
Passo a passo para fazer o carro funcionar
É permitido a utilização de qualquer relação na mistura de etanol e
gasolina, nos carros flex. Entretanto, é importante ficar atento quanto a
questão do abastecimento.
Como os flex permitem ambos combustíveis, alguns condutores acabam
alternando entre a gasolina e o etanol, o que pode ser o gerador do
problema. Vamos explicar de maneira simples: Se ontem você abasteceu
com gasolina e hoje você decidiu colocar etanol, o sensor da injeção não
terá tempo de ler esse combustível novo.
Alguns manuais deixam a informação clara: “O sistema flex necessita de
aproximadamente 10 minutos com o veículo funcionando para poder
reconhecer o combustível”.
Se o carro não ligar de manhã, você pode tentar o seguinte truque:
1. Vire a chave e deixe as luzes acesas e não dê partida;
2. Pressione o acelerador até o fundo;
3. Insista na partida;
4. Erga o pé levemente.
Após seguir esses passos, o carro tende a ligar. O que acontece é que o
veículo não pode depender de truques para funcionar. Sendo assim, é
recomendado fazer uma vistoria na oficina mecânica. Entenda o por quê.
Verifique a sonda lambda
Com alguns testes, é possível averiguar se a quantidade do combustível
está correta, mas na maioria dos casos, ela não é equivalente ao que está
dentro do tanque. O mecânico, na maioria das vezes reseta o módulo, e
tudo se normaliza.

Após esse processo, é importante verificar uma peça chamada sonda
lambda. Ela funciona como um nariz humano, ou seja, ela aspira os gases
queimados do combustível e envia para o módulo gasolina ou etanol. Se a
peça estiver antiga ou desgastada será preciso efetuar a troca. Do contrário
basta apenas reprogramar o módulo e tudo tende a se resolver.
Dica: Caso mude bruscamente de combustível, circule com o veículo por no
mínimo 20km antes de desligar o motor.
Faça um comentário no nosso post e nos responda: “O seu carro já deixou
de funcionar de manhã?” “Como você solucionou o problema?”. Lembrando
que em caso de dúvidas ou sugestões estaremos à disposição para atendê-
lo. Conte sempre com o atendimento especializado do AutoZ. Até a
próxima!